Acompanhe nas redes sociais

blog

05

| agosto

2020

REUNIÃO COM O MINISTRO DO TURISMO PARA SOLICITAR AUXÍLIO PARA BARES E RESTAURANTES, PEDIDO DO SINHORES DE JACAREÍ

Estive reunido esta manhã com o Ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, onde apresentei a demanda recebida do representante do Sinhores (Sindicato dos Hotéis, Bares, Restaurantes e Similares) de Jacareí, o Sr. José Luiz de Matos Ribeiro (Chopperia do Gordo), para investimentos afim de auxiliar bares e restaurantes devido à pandemia da Covid-19.

Aproveitei para apresentar ao Ministro as dificuldades enfrentadas pelo setor, conforme manifestação recebida através do Sr. José Luiz, que além de representante do Sinhores, é proprietário do tradicional restaurante e choperia de Jacareí.

Segundo a Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes), o setor de bares e restaurantes gera seis milhões de empregos diretos em todo o Brasil, representando atualmente 2,7% do PIB nacional, mas devido ao momento crítico que o mundo está vivendo, conforme levantamento da pesquisa realizada pela ANR (Associação Nacional de Restaurantes), 72% das empresas promoveram demissões neste período, deixando cerca de 1,2 milhão de trabalhadores da área sem emprego.

Na região do Vale do Paraíba o problema não é diferente. Devido às medidas de isolamento social para prevenir e conter a propagação do vírus, o Sinhores estimam que mais de 1.500 trabalhadores de bares e restaurantes perderam seus empregos.

O Ministro Marcelo informou sobre o conhecimento das dificuldades enfrentadas pelos bares e restaurantes neste momento e anunciou que o Ministério do Turismo, através do Fungetur (Fundo Geral de Turismo) tem dialogado com o presidente da Abrasel para que em breve todos os proprietários de bares e restaurantes tenham acesso a linhas de crédito atrativas.

Desde quando eu e o deputado estadual André do Prado fomos prefeitos, sabemos o quanto os bares e restaurantes são propulsores da economia e grandes geradores de emprego e renda, sendo muitas vezes a porta de entrada para jovens e pessoas sem instrução ou experiência no mercado de trabalho com carteira assinada. A recuperação da economia depende da sobrevivência destes empreendimentos, bem como a manutenção dos empregos gerados por eles.